Dezembro nas Cartas

Dezembro, décimo segundo mês gregoriano, período de finalizações de alguns ciclos de nossa vida mundana. Espiritualmente, o hemisfério sul explode em vida no verão, com as bênçãos do pai Sol. Por isso mesmo, mês de desafios, já que por aqui vivemos essa simbiose de energias opostas e complementares, a finalização e a fertilidade.

O mês abre com o Dois de Paus, duas varetas que se cruzam e desse encontro folhas se abrem e flores se desabrocham. Mês de parcerias, de encontros cheios de potencial, de oportunidades que outras pessoas nos apresentam. Não deixe grandes chances passarem com o pensamento de que “ano que vem eu olharei isso”, ou menos ainda o “fim de ano não é hora de começar nada”. Cada abrir de olhos é um novo começo, e aqui vemos que nossos objetivos estão sendo fertilizados pelo Sol. Mês propício a sociedades, novos amores, parcerias comerciais, mudanças no trabalho. Apoiado pela Montanha, esses (re)encontros podem ganhar mais solidez que esperávamos, se tivermos uma atitude de paciência e resiliência.

Cinco de copas, cinco taças envoltas por um coração de flores, um grande ovo fruto e folhas vistosas. A mesa cheia, as amizades próximas, os familiares presentes. Mês de grandes eventos sociais, como era de se esperar. Cuidado, no entanto. Depois de um 2018 de amizades desfeitas e laços enfraquecidos, compartilhar a mesa com aqueles que já não sabemos se realmente queremos perto pode ser bastante desconfortável. O pessimismo e a falta de ar quando não conseguimos ter um espaço para nós mesmos serão grandes desafios nessa época em que todos querem ficar próximos. Todos, os que amamos e os que desaprendemos a amar. A carta da criança traz a solução para o problema: por alguns instantes, se permita novamente ser criança nessas celebrações. Aproveite a comida, aproveite que com tanta gente os jogos ficam muito mais divertidos. Cante e dance sem esperar mais nada daqueles com os quais estamos juntos. Para que esperar mais do que isso? Um carteado vai ser bem mais produtivo do que discutir os rumos da política nacional. Crianças acham política muito chato. E convenhamos, é mesmo.

Cinco de paus, os encontros já sem tantas flores. A mensagem se repete. Precisa mesmo tornar uma celebração em uma disputa desgastante? O tempo se acelera na Era de Aquário e o verão energiza esse acelerar. Cuidado para que as oportunidades do dois não se tornem apenas grandes dores de cabeça. A solução para escapar do stress do cinco de paus é fazer como a vareta do meio: sobressair-se, impor-se, definir lideranças. Pode haver uma certa confusão de todos acharem que tudo lhes cabe, mas o barco tem apenas um capitão. Tome a liderança quando chegar a hora, antes que haja um motim. A mulher vem mostrando o caminho do Cinco de Paus. Não confunda liderança e poder com autoritarismo impositivo. A liderança vem pela leveza, pelo poder do silêncio, pela organização intuitiva. Enquanto a criança brinca com a bola na roseira, a mulher colhe as rosas e segue sua jornada. Rosas, flores de espinhos, nos ensinam que por vezes para conseguirmos o que queremos precisamos de delicadeza, dedicação, sensibilidade. Quando conseguirmos liderar come essas qualidades, todos os caminhos se abrem.

Dezembro, mês de parcerias, família e poder. Mês do ápice do pai Sol. Que seja eterno enquanto dure.

05 de Dezembro, Quarta-feira, dia de Mercúrio
Lua minguante em Escorpião

Arthur Luna Borba
Atendimentos de Tarot, Reiki e Ayurveda
Aulas regulares, cursos e vivências
Entre em contato